Pages

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Reticências

Simplesmente olho o luar
e claramente vejo seu olhar
meu coração se põe a cantar
e minha pele insiste a chamar.

Se ao menos pudesse prever
o futuro saber antes do amanhecer
e em uma vida conjunta satisfazer
todos os desejos que posso ter.

Mas ainda há de vir
um sentimento para fluir
um romance a existir
e você não me deixando ir.

Suavemente sentirei o torpor
Intensamente viverei o amor.
Frequentemente amentarei o calor.
Vividamente perceberei o sabor.

Poema feito em meio a pensamentos insistentes por Naty Iasmin
Ao som da voz de um professor

Um comentário:

Maurity Cazarotti disse...

Sinta-se bem, gosto de te ver bem e escrevendo bem como sempre, minha escritora, irmã e cúmplice favorita!